O estrago da pandemia para os agentes culturais brasileiros

Autoria: Aline Pellegrini
Ano: 2020

O setor cultural do país viu sua renda diminuir significativamente em 2020: 48,8% dos agentes culturais perdeu 100% da sua receita entre maio e julho. As consequências das medidas de isolamento para as atividades do segmento foram duras no mundo todo. A particularidade brasileira está na demora para criar uma política nacional de cultura em meio à pandemia, que só foi proposta no fim de junho com a Lei Aldir Blanc — com recursos que estão aos poucos sendo repassados à classe artística—, e na inércia da secretaria especial da Cultura, que sofreu constantes mudanças na chefia da pasta — em menos de dois anos de governo a secretaria já teve cinco titulares.

De acordo com os dados do IBGE de 2018, 44% dos trabalhadores do setor cultural eram autônomos, sem salário fixo ou carteira assinada. Antes da pandemia, a previsão era de que, até 2021, o setor pesquisado contribuísse com US$ 43,7 bilhões para o PIB nacional.