Limited edition: Producing artificial scarcity for digital art on the blockchain and its implications for the cultural industries

Autoria: Rachel O’Dwyer
Ano: 2018

Este artigo examina o uso da tecnologia blockchain para criar edições limitadas de arte digital, com foco especial nos modelos de negócios de duas empresas: Monegraph e Ascribe. Para alguns, o desenvolvimento das tecnologias blockchain e contratos inteligentes sugere uma oportunidade para os artistas protegerem suas obras contra mau uso e expropriação. Para outros, sugere a possibilidade de formas mais fortes de gestão de direitos digitais, que podem ter um impacto negativo na cultura digital. No entanto, este artigo argumenta que o objetivo das edições limitadas na blockchain não costuma ser instituir restrições mais fortes sobre o uso ou uma nova forma de gestão de direitos digitais, mas sim criar novos tipos de ativos digitais negociáveis. Por sua vez, essa tendência implica uma operação diferente dos direitos de propriedade intelectual em relação à cultura digital, em que a alienação, em vez da exclusão, é significativa, e uma operação diferente da escassez em relação aos bens culturais digitais, onde sua livre circulação não é necessariamente antitética ao lucro.