Economia criativa do Rio de Janeiro e as MPE

Autoria: SEBRAE
Ano: 2012

Há uma série de conceitos e grande dificuldade de mensuração, mas independente dos critérios, é certo o consenso de que a Economia Criativa é uma das vocações do Rio de Janeiro.

No novo paradigma econômico mundial, o conhecimento, a cultura e a criatividade são fundamentais para a competitividade dos negócios e dos territórios. O simbólico é que define crescentemente o valor. A tendência é de deslocamento da agregação de valor da produção física para o intangível e, nesse processo, a criatividade envolvida é central.

Apesar da relevância, o tema não tem sido explorado com a intensidade que deveria, o que, de certa forma, inibe o desenvolvimento, sobretudo de micro e pequenas empresas.

Esta publicação, portanto, tem como objetivo contribuir para o entendimento sobre o tema no
Estado do Rio de Janeiro com ênfase nos micro e pequenos negócios, bem como auxiliar na
formulação de estratégias na área.

Os desafios são muitos e podem ser sintetizados em três eixos principais: i) levantamento de informações e dados que representem a Economia Criativa na sua complexidade; ii) orientação e articulação de políticas públicas que incentivem e fortaleçam os empreendimentos criativos; iii) criação de um marco regulatório apropriado para as atividades da Economia Criativa.

Este tema representa uma agenda ampla, mas que merece ser enfrentada em prol de um
desenvolvimento com olhar para o futuro.